sábado, 4 de junho de 2011

Parte II - O CÁLICE DA SANTA CEIA “O Mistério do Santo Graal”

“Como seria agradável viver entre nós, se a continência exterior fossem sempre a imagem das disposições do coração...” -  O Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens. De J-J. Rousseau mais um Illuminates desgarrado da matilha. Interessante é sua condição de questionamentos sobre a virtude, quando a virtude se perde na necessidade cada vez mais real e necessária do consumismo, “...e o que será da virtude , quando se for necessário enriquecer a qualquer preço.?” Esta data, onde Rousseau deixa de ser músico para ser filósofo e defensor oculto de uma Paidéia do Puro Evangelho e da nobreza, usando muitas vezes Sócrates como exemplo, data de 1762 aproximadamente. Note que o Olho da Providência começa a vigorar em 1782, ou seja 20 anos após esta revolta moral de J-J Rousseau sobre a origem dos “fundamentos” que geram a desigualdade entre os Homens. Nesta data a Igreja estava se reformando depois de uma época de escuridão. Em apocalipse a causadora de todos os males do século e que traz toda a confusão nos homens, é a Igreja Católica Apostólica, e em 1782, se fortifica  ao dragão (EUA), incluindo seu trino no Olho da Providência, o arquiteto do mundo.
   
2. O SANTO GRAAL – A conduta, a chave, a porta para um reino Eterno 

“(Ez 39:29)...Já não esconderei deles a minha face, pois eu derramei o meu Espirito sobre a casa de Israel, diz o Senhor Deus.” - Neste caso Deus esta avisando que não ficará mais em oculto, é chegado o tempo, pois ele diz que seu Espirito esta sendo derramado sobre Israel. Israel significa os príncipes, os responsáveis pelos ensinamentos da conduta espiritual, os pastores, o cetro da Estrela, já relatado anteriormente, a linha vertical da intercecção entre a luz da matéria e espirito. Neste caso procede de Jacó, dos chefes, da linha material, chefe dos povos ou chefes de Estado. Interessante ressaltarmos a semelhança deste versículo com a primeira chaga apocalíptica já descrita sobre a Paidéia.


                  
Bom antes de construirmos o Graal, o Santo Graal, candelabro, vamos relembrar alguns tópicos já debatidos:
1.      Apocalipticamente ressaltando, a primeira e dolorosa chaga é a marca da Besta em nossas testas, ou seja a Conduta de uma Paidéia greco-romana que nos forma, e esta guerra secular nos impede de chegar ao centro da estrela e desabrocharmos espiritualmente para a nossa Glória em Deus. Devemos lembrar que é exatamente na testa que esta situado o lobo frontal responsável pelo nosso raciocínio. É realmente doloroso aceitarmos que somos conduzidos a uma certa atitude de “ser”, e que esta conduta esta nos levando a uma ruína eterna.
2.      A estrela da manhã, o caminho, a verdade e a vida, é o cetro de Israel (conduite espiritual) e Jacó (chefes dos povos), esta estrela foi modificada por Constantino quando este deixou de ser um cidadão romano e passou a aceitar o cristianismo. Constantino aceita a estrela mas a modifica.
3.      Em 1782, os EUA, decide imputar um emblema, uma insígnia massônica, trina e que significa o Arquiteto do Mundo, o Olho da Providência que recebe um nome Anuit Caeptis que significa “Ele o Olho da Providência é favorável aos nossos empreendimentos”. O Arquiteto pode arquitetar uma Paidéia pura ou maligna. Note que J.J.Rosseau, descrito acima, 20 anos antes da imputação do Olho, é contra esta conduta dos Illuminates em seu Discurso sobre a Origem e os Fundamentos da Desigualdade entre os Homens.
4.      Descobrimos que Bal significa porta, e que através da quarta profecia de Balaão (Bal – aão) um profeta que segue os preceitos de Deus é que temos o relato da estrela procedente de Jacó e de Israel que faz subir o cetro. (Nm 24:15-19) Lembre-se é através da estrela (mapa celestial fixo) que construímos o candelabro, peça da Arca da Aliança com Deus. O candelabro significa conduta a luz, a estrela guia, significa Jesus Cristo a estrela da manhã. Gostaria de ressaltar que  Baal, com dois “a”, vem de imagens, o que se opôe a Deus único e Todo-Poderoso (Thompson p. 1597 sobre Baalins).
5.      Foi relatado que Deus dá ao Homem prudente domínio sobre as coisas da terra e que ele tanto como a mulher não precisam se revestir de manto sobre a cabeça, pois o manto sobre a cabeça significa vergonha, por sua vez, a mulher prudente em sua posição de Rainha é edificadora e ajudadora do homem, sendo assim a glória dele, do Homem. Na atualidade isto é imposto como submissão, e em alguns povos a mulher tem que usar um manto sobre a cabeça impondo-lhe uma posição de envergonhada, conduta também deturpada do Puro Evangelho.
6.      Relatamos, num contexto breve, que a cidade antiga da Babilônia foi reedificada por Nacudobonosor, na quarta e última dinastia. Este Rei se arrepende e aceita o Deus único e Todo-Poderoso. Na antiga lenda da Babilônia o nome deste Rei é Marduk, Deus Uno e Todo – Poderoso, e o trono dele esta situado no centro de duas linhas que formam o quadrado desta cidade antiga. Gostariamos de ressaltar que Marduk tranca a Dan, a Serpente por mil anos nesta cidade, a besta que era, e já não é, mas que virá (Ap 17:8). As lendas helênisticas caracterizam Marduk como o próprio monstro. Note a imagem dos Illuminates, “Ele o Olho da Providência é favorável aos nossos empreendimentos” ocultando o trono de MARDUK na estrela. O olho da providência torna-se a 13º tribo das doze pontas do candelabro.

 
7.    
.      Importante salientarmos que na nova reforma ou conduta do Puro Evangelho diz, “Nada esta oculto que não possa ser revelado”, desta forma tanto os responsáveis pelo cetro de Israel (linha vertical que representa o espirito) ou bispos, pastores tanto quanto os que representam a linha de Jacó, os chefes dos povos, tanto quanto o próprio povo deve estar a par destas duas condudas: a Paidéia Greco-Romana que amaldiçoa e afasta o homem da conduta de Glória espiritual tanto quanto da Paidéia do Puro Evangelho e sua prática, neste caso tudo tem que ser sabido. Pois em “(Is 66:23-24) De uma lua nova à outra, e de um sábado ao outro, virá toda a humanidade a adorar na minha presença, diz o Senhor. E sairão, e verão os cadáveres dos homens que se rebelaram contra mim; o seu verme nunca morrerá (ou seja a conduta greco-romana que nos esta levando a ruína), nem o seu fogo se apagará, e serão um horror para toda a humanidade.” incrível, este Deus é realmente um Deus transparente e não de Mistérios.

Temos como herança da Paideia do Evangelho Puro (relatada por Jaeger como Paidéia Cristã) , a fé, e não a lei, “...A promessa de que havia de ser herdeiro do mundo não foi feita pela lei a Abraão, ou a sua posteridade, mas pela justiça da fé. (Thompson, Rm 4:13)”, “...Se nós somos filhos, logo somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo, se é certo que com ele padecemos, para que com ele sejamos também glorificados (Thompson, Rm 8:17)”. A imputação da lei opera a ira. Note que em Romanos 4:13 não é a lei que nos faz herdeiros do Reino Eterno e sim é a justiça da fé, ora, a fé, é a confiança no verbo proferido de um único Deus Todo – Poderoso, de um Deus que, opondo-se ao mito fantasiado e que imputa medo, diz existir e pede coragem, “...não temas Abraão, sou o teu escudo...”. Fé é também a confiança em se abster da matéria para começar a ingressar, a religar-se ao Espírito, mas por um curto espaço até receber, herdar o Reino. Estar nas leis, estatutos, juizos do evangelho puro sem fé, sem confiança é perder a herança, é perder o REINO , O PODER e O ETERNO. Em Romanos 8:17, note que temos duas condutas iniciais para se alcançar o Reino, o centro, pois só limpos de coração recebem e veêm Deus, ser limpo de coração é ter um Espirito Santo fortificado. Neste caso as duas condutas iniciais é; 1o. Padecer em matéria (abrir mão daquilo que esta sujando seu coração e que lhe é cobrado na lei e pelo Espirito Santo); 2o. se glorificar em Deus (nesta etapa após a limpeza do coração, a lei se firma, é entendida e então ela deixa de ser, somos libertados da lei).
Deus não quer ser apenas atraído por amor, sendo assim uma dádiva. Ele quer que a certeza do nosso amor por Ele passe a atrai-lo, sendo assim uma conquista. O Santo Graal não é uma dádiva e sim uma conquista.  (inspirado na personagem Eva de Herman Hesse, Demian p. 146)
Sendo co-herdeiros do sacerdócio de Melquisedeque por Jesus Cristo, nosso sacerdote ou guia da vida a quem devemos unicamente imitar,e deixando nós de imitarmos o guia da vida Homero, somos co-responsáveis pelo poder e domínio de toda a matéria na terra, menos sobre outros homens, lembrando que todos nesta Paidéia do Puro Evangelho são reis, e isto não quer dizer comunismo, porque comunismo é uma nomenclatura que vem da Paideia greco-romana.
Precisamos pela prática da lei adquirida por sabedoria, padecer toda a matéria para nos glorificar no espirito. Note o Espirito que é Santo é o único capaz de sondar o coração de Deus (GALATAS). Nós recebemos o Espirito Santo de Jesus Cristo (João 16),  mas precisamos limpar de nossos corações as condutas helenisticas para poder herdar o reino de Deus. Com redundância necessária, afirmamos que esta abstnência da matéria dura apenas um tempo, até que se esteja pronto para se co-responsabilizar pelo seu dom. Uma vez entendido, firmado a lei, aflora-se em Espirito, ou seja, recebe o Reino e o Poder pela Glória e assim se esta fora do jugo da lei, porque a lei fica entendida, firmada. Dentro desta condição se retrocedermos, ai sim estaremos inquirindo em um pecado que não tem volta, o pecado contra o Espirito Santo. Esta conduta se faz dentro da estrela da manhã indo em direção ao centro, a intercecção da matéria e espirito. Veja se estivermos excedendo em espirito estaremos nos afastando do centro e vice-versa e, é este o motivo que Deus repreende sabedoria espiritual excessiva, ou um encontro excessivo com santidade ou excessos nos vícios do mundo. Todo o Homem é pecador, ou seja, estamos sujeitos a erros dentro das tentativas de sermos sempre prudentes. Davi sempre se responsabilizava pelos seus maus atos e testemunháva-os a juízo para com Deus, por incrível que pareça eu muitas vezes me inquiri a esta conduta com Deus, nunca me aceitei perfeita pois perfeito é só Deus. Deus se agrada daqueles que são verdadeiros, transparente e genuínos de coração, daqueles que sabem se humilhar para se exaltar, que não querem alcançar poder, ou qualquer outra vaidade.
O processo iniciático , para se chegar ao centro da cruz , ou seja, na intercecção da raiz de Israel e Jacó, é também se humilhar na matéria ou no mundo para sermos exaltados em espírito, por isso perdão e compaixão são as maiores leis. Perdou porque temo a Deus e tenho compaixão porque amo o próximo como a mim mesmo. (Thompson, Fp3:21)
No processo iniciatico ao centro, ao recebimento do poder, do domínio, temos que  morrer o tempo todo, como Cristo morreu por nós, ou seja, perdoar e ter compaixão o tempo todo e isso é nobreza. Por exemplo: Jesus Cristo curou muitos, orientou, ajudou e na crucificação, na condenação por apenas ter ajudado pessoas, recebeu cuspe na cara, açoites, socos, desrepeito, intolerância, blasfêmias, mesmo assim ele disse : Deus perdoe-os , pois eles não sabem o que fazem. Realmente, todos estavam debaixo da nuvem do olho que tudo vê, todos estavam sob um jugo de uma Paidéia greco-romana provinda do guia da vida Homero.


Mas a tribulação fortalece, é na fraqueza que nós nos tornamos mais fortes, e assim, ficamos cada vez mais no centro, no trono de Deus. Daí a classificação dos salvos e suas posições no céu, representado pela estrela de Israel e Jacó.
Gostaria de deixar bem claro que o único que teve que morrer pelo Evangelho Puro foi Jesus Cristo, ninguém precisará passar pela mesma provação, a não ser as duas testemunhas apocalípticas de (Ap 11).

“Uma estrela procederá de JACO e de Israel subirá o cetro, que quebrará as temporas de Moabe, e destruirá todas as tribos de Sete. (Thompson, Nm 25:17)”
“...A ti , ó torre do rebanho, monte da filha de Sião, a ti virá; sim a ti virá o primeiro domínio...13. Levanta-se e debulha ó filha de Sião, porque eu farei de ferro o seu chifre, e de bronze as tuas unhas; esmiuçaras a muitos povos...(Thompson, Mq 4:8;4:13)”. Mas note, “(Thompson, Mq 4:10) Sofre dores, ó filha de Sião, como a que esta de parto...” , neste caso a filha de Sião sofre dores porque não tem Rei nem conselheiro, “...porque agora sairás da cidade, e morarás no campo. Virás até Babilônia; ali serás livrada. Ali te remirá o Senhor das mãos do teu inimigo...”. Este profético já aconteceu, então assim inicia-se o profético de Mq 4:13 já relatado, agora filha de Sião levanta-te e debulha...

 
E esta aí Moabitas (povo que tem salvação) a estrela da raiz (esquerda da tela), a que mapeia os maiores e menores no céu pelo processo da conduta iniciatica do Evangelho Puro , a estrela que J.J. Rosseau e Dante Alighieri procuraram guardar, o código Da Vinci, o Opus Dei. Lembrem-se, é conduta e os que ficarem mais proximos do centro estão mais proximos do Trono de Deus, no eterno e salvação.

2.1  CONSTRUINDO O SANTO GRAAL

 “(Ap 12:11)...Eles os venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho...” - neste caso o diabo, o dragão é vencido por aqueles que iniciando-se na conduta das atitudes de Cristo, testemunham o eterno do reino e o poder que receberam, vencendo o dragão em Glória.


Cada um tem um “dom”, como Balaão nos disse: na ciência do Altíssimo, este dom nos é mostrados dentro da Estrela, dentro do Reino.
No que concerne a Dante Alighieri, em a Divina Comédia, ninguém até nossos tempos atuais conseguiram encontrar uma lógica em seus versos ocultos por um véu. O próprio Dante afirma em (Epístola, XIII, VII 20-22)  que a Comédia (Divina Comédia) deveria ser entendida de mais de um modo, pois dera-lhe quatro sentidos superpostos: o literal ou histórico, o moral, o figurado ou alegórico e o analógico ou místico.  (Alighieri, DANTE. 1981 p. XI)
Alguns na história diziam ser Dante um templário.

“...31 E ela (Beatriz) a mim (Dante): Do receio e da vergonha quero que te libertes por inteiro , de ora em diante , deixando de falar como que sonha (Principia por saber) que o carro profanado há pouco pelo dragão já não esta , como foi ofendido. E esteja certo o malfeitor de que a justiça divina nenhuma sopa se antepõe. Não há de ficar por todo o tempo sem herdeiros a águia que o carro cobriu com as suas penas , fazendo-se antes monstro e depois presa. (Alighieri Dante, CANTO XXXIII, pg.230)”

Neste caso , notemos que no falar de Beatriz temos: a) um pedido de Beatriz a Dante que este se mantenha puro, limpo em coração, numa conduta sem receio e fantasiosa, a bela moça pede prudência ao expor pela escrita seus versos; b) Temos um dragão que profana um carro e um julgamento sobre este malfeitor; c) A águia que é símbolo de Deus, Beatriz diz que não há de ficar sem herdeiros. Ora , nós somos herdeiros do Reino de Deus, e d) Ela diz que a águia que esta sem herdeiros que o carro cobriu o encobertou com as próprias penas da águia e fez da àguia: antes monstro e depois presa. Note que na lenda de Marduk, que será relatado mais detalhadamente em outro capítulo destes arquivos, este Deus Todo – Poderoso, que tem seu trono no centro de uma cruz na cidade antiga de Babilônia, é quem aprisiona o dragão, e muitas vezes é visto como um monstro, ou o próprio monstro pelas civilizações helenisticas subsequentes, um monstro por ter capturado a Dan???. Interessante também ressaltarmos que Deus o Todo-Poderoso, o do Evangelho Puro se torna presa de Constantino e do bispado da época de Dante.
Cristrograma de Constantino que fecha o encontro com o Espirito

“ … Olhos postos no futuro, percebo o que vão anunciando as mais próximas estrelas sem que sombras ou obstáculos prejudiquem a visão do porvir: um quinhentos dez e cinco virá, enviado por Deus, afim de trucidar a ladra e aquele gigante que ao lado dela delinquiu...(Alighieri Dante, CANTO XXXIII, pg.230)”

note 3 hastes superiores mais 2 hastes inferiors = 5
Bom, paramos no valor quinhentos (5 0 0) , dez (1 0) e cinco (5), veja que isto remete ao futuro. Ao montar o Candelabro da Bíblia, percebi que os valores superiores da primeira hastes, irão nos mostrar (3) cálices, e os valores inferiores das hastes dos rios dois (2) cálices. Se somarmos estas extremidades superiores e inferiores teremos o valor cinco (5) para o valor da linha material dos chefes de Jacó, ou linha , haste central do candelabro. Tanto a direita como à esquerda do candelabro teremos o valor cinco (5) que somados formaram o valor dez (10) central. Ora, sendo assim temos 3 casas decimais do número 5 0 0 (quinhentos) no centro do candelabro, onde no centro temos o número 1 0 (dez) e na última casa decimal o valor 5 (cinco). Note que Dante fala neste verso de futuro , do valores expostos aqui e de um guiado por Deus. 

Quanto aos objetivos do (quinhentos dez cinco), nada mais é do que colocar abaixo a ladra (prostituta) e gigante (dragão) que delinquiu a Sacra Planta.  E Dante contuinua escrevendo o falar de Beatriz em seus versos:

“...é provável que não me compreendas perfeitamente, pois o obscuro é próprio das profecias, tal como sucedeu com Têmis e a Esfinge. Os fatos contudo farão com que venhas a me dar razão; quais Náiades eles resolveam este enigma, sem causar dano ao trigo e ao gado...(Alighieri Dante, CANTO XXXIII, pg.230)”

Bom, Beatriz esta falando do futuro, de profecias e da mesma forma que é no futuro que se desvenda a Esfinge, é em uma época Apocalíptica, por vontade de um Deus que diz ser real e diz para não temermos, que se desvenda “...a visão do porvir: um quinhentos dez e cinco virá, enviado por Deus, afim de trucidar a ladra e aquele gigante que ao lado dela delinquiu...(Alighieri Dante, CANTO XXXIII, pg.230)”. Naiádes significa deusas greco-romanas, ninfas que representavam a cura e a profecia, motivo que Dante as representou no texto. Note que as ninfas são representadas como slucionadoras de enigmas, por Dante neste texto, sem ter que destruir a vida , o trigo e o gado - "...quais Náiades eles resolveam este enigma, sem causar dano ao trigo e ao gado...(Alighieri Dante, CANTO XXXIII, pg.230)”

Só existe uma chave na História do Mundo que nos levará a Fonte da Árvore da Vida, a eternidade, e esta chave esta no Santo Graal, no Candelabro construída através da estrela da manhã que reluz, Jacó e Israel, genealogia de Jesus Cristo.

“...(Thompson, Ex 25:31) Também farás um candelabro de ouro puro, de ouro batido se fará o candelabro, o seu pedestal, a sua haste, os seus cálices, os seus botões e as suas flores formarão com ele uma só peça...”, note que o candelabro deve ser construído em uma só peça e não separado e ele é feito de ouro puro. Interessante ressaltar que os alquimistas, que na história trazem a cultura da Kabalah, falam muito do ouro como sendo o encontro com a eternidade, do Elixir da Longa Vida.  Para o alquimista, o universo todo tendia a um estado de perfeição.

“...(Thompson, Ex 25:32) Dos seus lados sairão seis hastes: três de um lado e três do outro...” . Dos “seus” lados, dos seus dois lados sairão seis hastes, e devem ter três hastes de um lado e três hastes de outro. Para termos maior precisão basta-nos construir uma cruz de um quadrado perfeito (a estrela da manhã) e assim  dividirmos as três hastes para formar seis pares de hastes, (*veja figura ao lado)
 “...(Thompson, Ex 25:33) Numa haste haverá três cálices no formato de amêndoas, um botão e uma flor; três cálices com formato de amendoas na outra haste, um botão e uma flor, assim serão as seis hastes que saem do candelabro...”, ora se as seis hastes com formato de cálices no formato de amêndoas e botões saem da haste estas estão realmente na haste superior descrito no versículo anterior. Note que é “numa” haste haverão três cálices.(*veja figura a esquerda)
“...(Thompson, Ex 25:34) Mas no candelabro mesmo haverá quatro cálices com formato de amendoas, com seus botões e suas flores.” ,referente a este versiculo é interessante revermos o número quatro, uma vez que em Apocalipse “(Thompsom, Ap22:1-3)... Então me mostrou o rio da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro...” , e “(Thompson, Gn 2:10) Saia um rio do Edem para regar o Jardim; dali se dividia e se tornava em quatro braços” (* veja figura a direita), interessante que é da cidade antiga da Babilônia que recebemos as histórias do Edem onde esta a Porta e a divisão (Babel), de lá saiam 4 rios. “(Thompson, Sl 46:4)...Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo.”, e “(Ap 4:5-6) ...Do trono saíam relâmpagos, vozes e trovões. Diante do trono ardiam sete lâmpadas de fogo, as quais são os setes espiritos de Deus. Também havia diante do trono como que um mar de vidro, semelhante ao cristal, e ao redor do trono, uma ao meio de cada lado, quatro seres viventes cheio de olhos por diante e por detras.” ., note que são quatro viventes uma ao meio de cada lado, logo dois para cada lado da haste. Diante do trono, o trono esta no centro da estrela, ardiam sete lâmpadas, (a sétima lâmpada é o botão central da haste superior que se comparado ao anjo, espirito que derrama a sétima chaga, esta é derramada no ar), “(Thompson, Ap 16:17)...O sétimo anjo derramou a sua taça no ar, e saiu grande voz do templo do céu, do trono, dizendo: Esta feito.”


Neste caso, todos estes versículos se assemelham exatamente a cidade antiga da Babilônia, descrito por Herodes e mostrado mais a frente, locais onde há água, local do trono de Marduk, valores dos muros e hastes do candelabro, relatados mais a frente deste texto. Sendo assim, ousei em construir esta haste inferior com ênfase ao versículo de Gênesis 2:10, pois o candelabro, a água, o trono são símbolos muito usado no apocalipse aos santos, guerreiros participantes do Armagedom, e todos estes símbolos, como veremos no decorrer destes arquivos, é um e vários.

“...(Thompson, Ex 25:35) Haverá um botão debaixo do primeiro par de hastes que sai dele, um segundo botão debaixo do segundo par, um terceiro botão debaixo do terceiro par – seis hastes ao todo.” (*veja figura abaixo)


“...(Thompson, Ex 25:36) Os botões e as suas hastes formarão uma só peça com o candelabro, obra batida de ouro puro.”

 “(Ap22:16) Eu , Jesus , enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas às igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã.”

Perceba que o candelabro também lembra um cálice. Lembre-se que é através da estrela cetro de Israel e raiz de Jacó que construimos o candelabro. A estrela representa também Jesus Cristo. O candelabro em forma de cálice é aquele que retem água e usado na Santa Ceia. Note que a famosa pintura de Da Vinci de a Santa Ceia não mostra Jesus segurando o Calíce, apenas mostra Jesus em reunião com seus dicípulos. Isto nos reforça ao significado de que o Candelabro, partindo de um mapa celestial (debatido em outro artigo), a estrela fixa, que também nos lembra um cálice nada mais é do que uma conduta para alcançarmos o Reino de Deus e a Eternidade. M     as este Reino Deus co-responsabiliza apenas aos puros de coração.

(Thompson, Ap22:1-3) Então me mostrou o rio da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus do Cordeiro.” , ora o trono esta no centro da estrelam,na haste central do candelabro, de lá saem a água da vida, logo reforça seu significado também como sendo cálice.

Olhando todas as pontas do candelabro e contando, temos a unidade, as 12 tribos fixas pela cetro do espirito e linha da matéria da estrela da manhã. Em Tiago, na Bíblia, teremos a seguinte observação:

 “(Tg 1:1) Tiago, servo de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, às doze tribos da dispersão, saudações.”

A carta de Tiago irá orientar como estas doze tribos dispersas pelo Cristrograma de Constantino e Ocultas pelo Olho da Providência deverão agir na reforma apocaliptica. Notemos que em Tiago 2, proíbe-se o favoritismo. Um mandamento bem interessante é visto em Eclesisastes, tudo é vaidade menos o verdadeiro amor do homem, seu amor em delícias, sua mulher bendita, neste caso então: estar em púbito falando de Deus também é vaidade, e nisso temos que tomar muito cuidado poi, “(Thompsom, Ap 22:20) ...Aquele que dá testemunho destas coisas diz: Certamente cedo venho...”

Em (Thompson, 1co10:21) temos um alerta bem interessante “... Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios, não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da Mesa dos demônios...”

Olhando, também, para a figura do candelabro, percebemos que ele parece uma árvore, e Jesus é muitas vezes visto como Árvore da Vida, logo em Ezequiel ,  “(Thompson, Ez17:9) ...Dize: Assim diz o Senhor DEUS: Ela prosperará? Não lhe arrancará a águia as suas raízes, e não cortará o seu fruto, para que se sequem todas as folhas de seus renovos? Não será necessário nem braço forte, nem muita gente, para arrancá-la pelas raízes. Mas estando plantada prosperará? Tocando-lhe o vento oriental, de todo não se secará? Desde a cova de seu plantio se secará. Então veio a mim a palavra do Senhor: Dize agora a casa rebelde (os que não me servem e que não querem provar do Santo Graal) Não sabeis o que significam essas coisas? Dize: Veio o rei da Babilonia (rei que não serve o Puro Evangelho, apenas um se converteu Nacudobonosor na 4a Dinastia) a JERUSALEM (A cidade SANTA) e tomou o seu rei e os seus principes (roubou a estrela – cetro principes de Israel e chefes ou res de Jacó) e os levou consigo para a Babilonia.... Então tomou um da semente real (eram os persas da época relatado por Daniel 10:20 como sendo o principe dos persas) , e fez aliança com ele, e o ajuramentou. E removeu os poderosos da Terra para que o reino ficasse humilhado (como estamos hoje) , e não se levantasse, embora guardado a sua aliança, pudesse subsistir (esconderam o SANTO GRAAL, a conduta o candelabro, mas agora como relatado em Dante esta destruido dois mistérios: ESFINGE E CANDELABRO). Mas ele se rebelou contra o rei da Babilonia, enviando os seus mensageiros ao Egito, para que lhes mandasse cavalos e muita gente. PROSPERARA OU ESCAPARA AQUELE QUE FAZ TAL COISAS? (veja como DEUS é mega equilibrado, fala em um tom de calma, prosperara ou escapara? É este Deus prudente, sábio, que os Homens são herdeiro em representá-lo na Terra durante todos estes anos e não o fizeram), ou quebrantará a aliança e escapará?? Tão certo como eu vivo, diz o SENHOR DEUS, no lugar em que habita o rei que o fez reinar  cujo juramento desprezou, e cuja aliança quebrantou, (A ALIANÇA DO SANTO GRAL, DO CAMINHO, DA VERDADE, DA VIDA, DA CURA, DO AMOR) sim, com ele no meio da Babilônia certamente morrerá.” , ..morrerá...morrerá... para a eternidade. Neste caso a Dan, a Serpente também é vista como árvore que quis crescer muito alto.

* Próximo arquivo: A ira e ódio do Anjo caído e Uma mulher montada numa Besta, decifrando o Apocalipse.




                       

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário